Dr. Mauro Fernandes

A dor lombar é uma condição prevalente que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Esta aflição, muitas vezes incapacitante, pode ter origens diversas e manifestar-se de maneiras variadas. 

Neste artigo, exploraremos os sintomas, métodos de diagnóstico e opções de tratamento para a dor lombar, fornecendo uma visão abrangente desta condição comum.

 

Dr. Mauro Fernandes e Tratamento da Dor Lombar

 

Dr. Mauro Fernandes é médico ortopedista especialista em cirurgia da coluna vertebral e pós-graduado em tratamento intervencionista da dor pelo Hospital Israelita Albert Einstein. É membro da Sociedade Brasileira de Coluna e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. 

Nos últimos anos, sua dedicação tem sido voltada para o estudo e aplicação dos mais avançados tratamentos e procedimentos da coluna vertebral, incluindo a cirurgia endoscópica (realizada por vídeo) e técnicas minimamente invasivas. Com isso, o Dr. Mauro Fernandes proporciona aos seus pacientes opções de tratamento de ponta, caracterizadas por menores riscos e recuperação mais ágil.

O atendimento do Dr. Mauro ocorre em seu consultório particular, localizado na cidade de Curitiba, onde oferece cuidados especializados. Além disso, realiza procedimentos no Hospital São Marcelino Champagnat, garantindo aos seus pacientes um ambiente hospitalar de excelência.

Reconhecido como um dos especialistas em coluna mais bem avaliado em Curitiba por mais de 5 anos consecutivos, o Dr. Mauro Fernandes tem suas credenciais respaldadas pelas avaliações positivas de seus pacientes. Para conferir as experiências de outros pacientes, veja as avaliações disponíveis no Doctorália.

Sintomas da Dor Lombar: Uma Experiência Multifacetada

A dor lombar é caracterizada por desconforto ou dor na região inferior das costas. Esta área, conhecida como região lombar, compreende a parte inferior da coluna vertebral e é suscetível a várias formas de tensão e lesões. 

Os sintomas da dor lombar podem variar amplamente. Os mais comuns incluem:

  1. Dor Aguda ou Maçante: A dor pode variar de aguda e pontiaguda a uma sensação mais maçante e persistente.
  2. Restrição de Movimento: A pessoa pode sentir dificuldade em realizar atividades que envolvem movimentos da parte inferior do corpo, como inclinar-se, levantar objetos pesados ou até mesmo caminhar. 
  3. Rigidez Muscular: Músculos na região lombar podem ficar tensos e rígidos, contribuindo para a sensação de desconforto.
  4. Irradiação da Dor: A dor pode se irradiar para as nádegas e pernas, causando desconforto adicional nessas áreas.

 

Diagnóstico: Descobrindo a Origem da Aflição

O diagnóstico preciso da dor lombar é crucial para determinar o plano de tratamento mais eficaz. Os profissionais de saúde utilizam uma abordagem abrangente, que pode incluir:

  • Histórico Clínico: O médico coleta informações detalhadas sobre os sintomas, histórico médico e estilo de vida do paciente para identificar possíveis causas.
  • Exame Físico: Uma avaliação física pode revelar sinais de tensão muscular, restrição de movimento e outras pistas que ajudam no diagnóstico.
  • Exames de Imagem: Em alguns casos, exames de imagem como radiografias, ressonância magnética (RM) ou tomografia computadorizada (TC) são utilizados para visualizar estruturas internas e identificar anormalidades.
  • Exames Laboratoriais: Em situações específicas, exames de sangue podem ser solicitados para descartar condições médicas subjacentes.
 

Tratamento da Dor Lombar: Abordagens Variadas para o Alívio

O tratamento da dor lombar é altamente personalizado e depende da causa subjacente. Algumas opções comuns incluem:

  1. Medicação: Analgésicos e anti-inflamatórios podem ser prescritos para aliviar a dor e reduzir a inflamação.
  2. Fisioterapia: Exercícios específicos podem fortalecer os músculos das costas, melhorar a flexibilidade e promover a recuperação. 
  3. Injeções: Injeções de corticosteroides podem ser administradas para reduzir a inflamação localizada e aliviar a dor. 
  4. Cirurgia: Em casos graves e persistentes, a cirurgia pode ser considerada para corrigir problemas estruturais, como hérnias de disco
  5. Mudanças no Estilo de Vida: A adoção de hábitos saudáveis, como manter um peso adequado, praticar exercícios regularmente e manter uma postura correta, pode contribuir significativamente para a prevenção e tratamento da dor lombar.
 

É possível aliviar a dor lombar em casa?

 

 

Uma dúvida frequente entre aqueles com indicação de tratamento conservador é: como aliviar a dor na coluna lombar em casa?

O primeiro passo é fazer o uso das medicações indicadas pelo médico assistente (usualmente anti-inflamatórios e analgésicos). Maior parte das vezes, o tratamento medicamentoso é limitado a fase aguda dos sintomas. Siga as recomendações médicas.

Além disso, também é possível fazer compressa (habitualmente sugerimos compressa morna) no local da dor, isso pode levar ao relaxamento muscular e o alívio sintomático.

Com a melhora progressiva do quadro agudo de dor, inserimos gradualmente exercícios leves de mobilidade e alongamento. Em fases mais avançadas do tratamento, iniciamos exercícios de fortalecimento muscular. Você pode encontrar sugestões de 5 exercícios de alongamento e 5 exercícios de fortalecimento nas minhas postagens anteriores.

O auxílio do fisioterapeuta e educador físico é extremamente importante quando optados pelo tratamento conservador. Recomendamos acompanhamento profissional nesse período de reabilitação física quando disponível.

 

5 exercícios para fazer em casa: alongamento da coluna lombar

 

 

O alongamento é frequentemente utilizado para ganho de flexibilidade em músculos ligados à coluna (principalmente isquiotibiais e iliopsoas) em pacientes que sofrem com dores lombares.

Uma coluna mais flexível evita sobrecarga durante possíveis atividades esportivas e, consequentemente, reduz a dor na região da coluna lombar.

Separamos cinco exercícios de alongamento que você pode fazer em casa. Realize três séries de cada alongamento, com 30 segundos cada um.

 

5 exercícios para fazer em casa: fortalecimento da coluna lombar

O tratamento da coluna lombar através de exercícios é um método largamente estudado, com múltiplas técnicas direcionadas para diferentes afecções. A maioria dos exercícios é voltada para porção inferior do tronco, sobretudo o core, conjunto de músculos que estabilizam o complexo lombo-pélvico-abdominal.

Acredita-se que uma intervenção precoce, com reabilitação física adequada, possa trazer resultados satisfatórios para uma parcela significativa dos pacientes com doença da coluna lombar.

Separamos cinco exercícios para fazer em casa. Realize três séries de dez repetições de cada exercício:

 

 

  1. Deite no chão, de lado, mantenha as pernas esticadas e levante a perna de cima. Repita o movimento 10 vezes, troque de lado e eleve a outra perna.
  2. Deite de costas no chão, com as duas pernas esticadas, e levante uma delas. Realize o exercício alternando as pernas. Repita o movimento 10 vezes em cada perna.
  3. Ainda deitado no chão, dobre uma perna apoiando o pé no chão, levante a outra esticada e eleve o tronco e o quadril. Repita 10 vezes e alterne as pernas. 
  4. Deite de bruços no chão e, mantendo o corpo apoiado, eleve porção superior do tronco, braços e pernas. 
  5. Deitado de bruços, erga o corpo mantendo o tronco alinhado e apoiando os cotovelos e as pontas dos pés no chão. Mantenha por 30 segundos.

 

 

A Gestação piora a dor na coluna lombar?

 

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 258184582_4262011430570936_7320040898234720615_n-1024x1024.jpg

A dor lombar é uma queixa comum durante a gestação, afetando mais de 50% das gestantes. A dor ocorre na região lombar, ao redor das articulações sacroilíacas e na sínfise púbica.

Embora possa acontecer no início da gestação, a queixa de dor geralmente se apresenta no segundo trimestre (em média, na 22ª semana de gestação), principalmente no final do dia.

Acredita-se que a dor esteja associada a alterações hormonais, circulatórias e mecânicas. Níveis crescentes de relaxina, progesterona e estrogênio durante a gravidez levam ao relaxamento dos ligamentos. O centro do peso do corpo se desloca para a frente devido ao ganho de peso durante a gravidez e a carga na região lombar aumenta.

As queixas também podem ser afetadas pela aptidão física, exercícios e história familiar. As dores comprometem a qualidade de vida e causam problemas sociais e econômicos, portanto, não devem ser ignoradas ou consideradas uma condição normal.

As estratégias de prevenção devem ser apresentadas às mulheres em risco, direcionando as gestantes ao tratamento adequado em cooperação com um fisioterapeuta.

 

O que fazer em casos de crise de dor lombar?

 

 

A dor lombar (ou lombalgia) é comum e pode ter diferentes causas. Entre as mais frequentes estão sobrecarga muscular e alterações discais, como a hérnia de disco.

O sintoma pode ocorrer de maneira súbita ou ter uma evolução gradual. O quadro habitualmente é brando, não-progressivo e de caráter transitório.

Existem algumas técnicas simples que podem auxiliar nos cuidados iniciais, aliviando as dores de maneira domiciliar:

  • REPOUSO RELATIVO: período inicial curto de inatividade e limitação dos movimentos (24h-48h). 
  • COMPRESSAS: frias ou quentes, em sessões regulares de aproximadamente 20 minutos, várias vezes ao dia (a cada 3h ou 4h). 
  • MEDICAÇÕES: sintomáticas, como anti-inflamatórios e analgésicos, por períodos limitados (3-5 dias). 
  • ALONGAMENTOS: exercícios leves para manutenção da mobilidade, dentro de um limiar de conforto.
 

 

Como tratar a dor lombar inespecífica?

 

 

Esse tipo de queixa corresponde a aproximadamente 90% dos casos de dores lombares. Habitualmente, está relacionada a um desequilíbrio entre a carga exigida para uma atividade do cotidiano e a capacidade para sua execução.

O paciente apresenta queixa de dor em peso, que piora com esforço físico e alivia com repouso, sem alterações neurológicas. Muitas vezes a dor pode causar limitação para as atividades do dia a dia.

O tratamento é feito de forma clínica, com orientação de reavaliação dentro de algumas semanas, envolvendo medidas de alívio da dor (repouso relativo, medicação e compressas) e reabilitação física (fisioterapia).

 

Obesidade x Dor na Coluna

 

 

Aproximadamente um terço da população mundial tem sobrepeso, fator que é diretamente relacionado à dor lombar. Estima-se que 40% das pessoas apresentarão excesso de peso e 20% terão obesidade, em 2030.

Episódios de dor lombar ou desenvolvimento de dor lombar persistente estão relacionados ao estilo de vida, que envolvem a obesidade, tabagismo e baixos níveis de atividade física.

Embora intuitivamente relacionamos a maior degeneração discal com sobrecarga mecânica na obesidade, estudos recentes sugerem uma origem multifatorial.

Entre os elementos relacionados ao risco aumentado de degeneração em obesos estão: inflamação crônica, interação de fatores genéticos e meio ambiente e diminuição do suprimento sanguíneo levando a alterações isquêmicas.

Portanto, para diminuir os episódios de dor e incapacidade dos pacientes, é imperativo a manutenção do peso adequado e atividade física regular.

 

5 cuidados necessários após uma cirurgia na coluna lombar

 

 

Realizar uma cirurgia na coluna exige que o paciente adote alguns cuidados no período de recuperação. O resultado satisfatório de um procedimento cirúrgico depende da atuação conjunta da equipe médica e do paciente.

Confira cinco cuidados que você deve adotar após uma cirurgia na coluna lombar:

  1. CURATIVOS: Faça a troca diária dos curativos. A pele cicatriza em um período de aproximadamente 10 a 14 dias, os planos mais profundos, como a musculatura, levam algumas semanas. Compareça a primeira consulta dentro do mesmo período. 
  2. MOVIMENTOS: Evite movimentos excessivos de rotação, flexo-extensão e sobrecarga de peso na região lombar nas primeiras semanas. 
  3. NO DIA A DIA: Procure fazer pequenas caminhadas, evitando pisos irregulares. Ao sentar-se coloque uma almofada atrás das costas, com o objetivo de apoiar a coluna. 
  4. REABILITAÇÃO FÍSICA: o acompanhamento com o fisioterapeuta e/ou profissional de educação física é essencial e deve ser iniciada com 6 a 8 semanas de pós-operatório. 
  5. RETORNO AO TRABALHO: O tempo de retorno ao trabalho pode variar entre 15 dias e 4 meses, dependendo do quadro de saúde prévio do paciente, tipo de cirurgia e da profissão exercida.

 

 

Conclusão: Recuperando a Qualidade de Vida

A dor lombar pode ser debilitante, mas com uma abordagem adequada, é possível aliviar o desconforto e melhorar a qualidade de vida. O diagnóstico preciso e um plano de tratamento personalizado são essenciais para lidar eficazmente com essa condição comum.

Se você está enfrentando dor lombar persistente, é fundamental procurar a orientação de um profissional de saúde para avaliação e tratamento adequados. Lembre-se, entender as causas e abordar os sintomas são passos cruciais para recuperar o equilíbrio e retomar uma vida ativa e saudável.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir bate-papo
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?